“Temos que defender muito o SUS” – Entrevista com Samara da Visão

por Iury Aragão publicado 03/02/2021 13h23, última modificação 03/02/2021 13h23


#NovosVereadores

Saúde, representação feminina na política e atenção à população da área irrigada petrolinense. Essas são algumas bandeiras que Samara da Visão traz à Casa Vereador Plínio Amorim. Com histórico de atuação nas questões de saúde da cidade, ela foi sendo convencida a se candidatar e, em 2020, foi eleita com 1.269 votos. Segundo Samara, humanismo e empatia são duas características essenciais para sua atuação política.

Como seu trabalho na área da saúde lhe encaminhou para a vida pública? 

Eu trabalho em uma clínica, e o meu dia a dia me chamou a atenção para a área política, sobre como tratar as pessoas. Eu me preocupava e tentava dar um retorno para elas. E então fui sendo incentivada em adentrar na política, entendendo que ela tem o poder de transformar vidas, de gerir o bem comum, fazendo propostas que realmente chegam à população. A partir disso, as pessoas começaram a dizer que era importante meu trabalho e que era importante eu ser uma representação. E isso acendeu esse desejo em mim. Em 2020 foi a segunda eleição que eu concorri. O primeiro pleito foi em 2016, e agora, em 2020, fui eleita. São novos desafios. Temos uma cidade enorme, com desafios imensos e não medirei esforços para dar o melhor para as pessoas de Petrolina.

A gente sabe que o SUS tem alguns problemas, não só em nossa cidade, mas a nível nacional. E tendo alguém que tem essa sensibilidade, que trabalha com humanismo, não só na saúde, mas na política também, tendo empatia, se colocando no lugar do outro, e pensando em ações que cheguem a todos e, sobretudo, àqueles que mais precisam, me fez despertar para a política. 

Como você vê o SUS? 

O SUS é extremamente importante. Ele traz agora a vacina, que é a grande esperança para as pessoas. Depois de quase um ano de sofrimento com a pandemia de covid-19, ele vem trazendo essa nova esperança. É muito importante que o SUS realmente cumpra o seu papel, e que tenham pessoas para fiscalizar, para saber das deficiências, para propor as melhores formas de atuar. Temos que traçar o perfil e buscar melhorias. Temos que defender muito o SUS. 

Qual a sua linha de atuação na Câmara? 

A saúde é um ponto importante, pois é uma área que integro. Também é importante ressaltar que moro na área irrigada, que produz movimento na nossa cidade. Temos que chamar a atenção para esse espaço também, pois há muitas demandas, como de saneamento, que não existe, as pessoas ainda não têm os títulos das casas (temos muitas situações irregulares), precisamos de melhoria das estradas, de sinalização e tantas outras questões. 

Você traz alguma pauta feminina? 

Venho com essa questão de fortalecer as mulheres na política. Hoje somos 23 vereadores na Casa Plínio Amorim e são apenas duas mulheres. A gente percebe uma escassez de representação feminina na Casa para brigarmos por nossos direitos. E também o direito da família, pois a mulher protege muito a família. Sou uma mulher que defende os princípios da família e estou disposta a batalhar, a levantar essas bandeiras que existem e, muitas vezes, passam despercebidas. 

É sua primeira vez como vereadora. Como tem sido esse primeiro mês? 

Esse é um mês de recesso e de adaptação. Estamos chegando e começando a conhecer os outros colegas de bancada. O tempo de palanque acabou e agora temos que unir forças para dar o melhor para Petrolina. É hora de mostrar nosso comprometimento, de adentrar nas vidas das pessoas pra que possamos dar bom resultado para a cidade. 

Qual sua expectativa para quando as sessões começarem? 

É algo novo, e já estou estudando. Também vou me dedicar a analisar e o que for o melhor para as pessoas vai ter minha aprovação. O foco que nos trouxe a essa casa é o bem da população. 

E para os próximos quatro anos, o que você espera? 

Eu gosto de desafios. Essa legislatura, esses próximos quatro anos são um desafio e eu vou dar o meu melhor, como sempre fiz na minha vida. Tudo que faço, faço com muito amor e dedicação. Peço também que as pessoas pensem um pouquinho mais no outros. Essa pandemia nos faz refletir sobre isso, porque o vírus é invisível, ninguém vê, mas a partir do momento em que o próximo está doente e não nos preocupamos com ele, estamos colocando também nossa vida em risco. Eu peço que as pessoas se coloquem no lugar do outro, façam isso no seu dia a dia, e tenhamos mais cuidado, preocupação, atenção com o outro.

 

 

 

 

 

error while rendering plone.comments