Câmara sedia audiência pública da Alepe realizada pela Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco

por Waldiney Passos publicado 03/06/2019 22h15, última modificação 05/06/2019 04h45
Debate ocorreu nesta segunda-feira, 3, data lembrada como Dia do Rio São Francisco e reuniu parlamentares, ambientalistas, representantes políticos da região e de entidades que dependem diretamente da sobrevivência do São Francisco.

A Câmara de Petrolina sediou nesta segunda-feira, dia 3, a última audiência pública desta fase da Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco, colegiado instalado pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) para acompanhar e cobrar medidas que protejam o ‘Velho Chico’ das consequências do desastre da Barragem de Brumadinho, em Minas Gerais. A tragédia além de ter matado mais de 200 pessoas, deixou um dano ambiental que pode atingir o rio que simboliza toda a riqueza e sobrevivência de Petrolina e diversas cidades banhadas por suas águas em estados como Pernambuco, Bahia, Alagoas, Sergipe e Minas Gerais, além de Paraíba e Ceará que recebem água do São Francisco após a obra da transposição.

Outras duas audiências ocorreram nas cidades de Floresta e Cabrobó, no sertão do São Francisco, também na sede dos legislativos dos dois municípios. A Frente é coordenada pelo deputado estadual Lucas Ramos (PSB), autor do requerimento de instalação do colegiado. Segundo o deputado, agora será finalizado o relatório com tudo que foi abordado nos encontros para que o documento seja entregue à Mesa Diretora da Alepe, diversas entidades nos estados que necessitam do rio preservado e ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara, PSB, para fazer parte das discussões do Consórcio de Governadores do Nordeste.

“Nós estamos servindo de inspiração para outras assembleias. As câmaras também devem ser provocadas neste processo de cobrança para que o poder público possa destinar recursos no orçamento para a preservação do meio ambiente. Esgotamos as audiência públicas aqui em Pernambuco, agora vamos levar a discussão para outros estados”, comentou Lucas. 

O deputado revela que o relatório final da Frente Parlamentar será compartilhado com os nove governadores do Nordeste. Ele antecipou que caberá ao governador Paulo Câmara encampar essa atenção maior com rio por parte dos gestores estaduais.

“Essa pauta já consta no Consórcio de Governadores do Nordeste e será apresentada pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Da mesma forma, iremos provocar as outras oito assembleias legislativas de nossa região para implantarem ações como essa”, salientou o parlamentar socialista.

A audiência pública garantiu a amplitude do debate, que também tratou de temas como a utilização de agrotóxicos e a falta de políticas concretas de preservação ambiental. A deputada Dulcicleide Amorim (PT), que integra a Frente Parlamentar, advertiu: “Hoje a agricultura familiar e irrigada sustentam a economia de Petrolina. Portanto, entre os pontos que devemos levantar está a questão dos agrotóxicos e as consequências que essa utilização tem para o rio e para a saúde da população. Tenho feito esse alerta e utilizado o meu mandato para que esse avanço dos agrotóxicos seja barrado em nome da vida do nosso Velho Chico”, acrescentou.

O primeiro vice-presidente da Casa Plínio Amorim, o vereador Ronaldo Souza (Ronaldo Cancão) registrou a importância da Câmara Municipal de Petrolina em presidir uma audiência pública da Frente em Defesa do Rio São Francisco, a pedido do coordenador, deputado Lucas Ramos.

“A Câmara deu sua parcela de contribuição quando permitiu no conjunto que a Comissão da Defesa do Rio São Francisco, pudesse realizar a audiência pública da Assembleia aqui no poder legislativo municipal, sobre esse desastre de Brumadinho.  O deputado Lucas Ramos, a quem agradeço, me credenciou para que presidisse uma audiência de tamanha grandeza”, frisou.

Cancão lembrou que o poder legislativo de Petrolina saiu na frente quando se preocupou logo após o desastre com o que poderia representar Brumadinho para o Rio São Francisco.

“Nós servimos de exemplo para as Câmaras de Belo Horizonte e de Três Marias em Minas, quando nos deslocamos 1600 Km para mostrar o problema em março deste ano. Esse é um debate do Nordeste brasileiro, pois hoje Paraíba e Ceará também dependem do rio após a transposição. É um debate nacional e nossa preocupação agora é pela preservação do rio num conjunto de forças que deve existir em todos os estados”, destacou Ronaldo Cancão, alertando que cuidar do São Francisco é cuidar do futuro de Petrolina e da região.

Único prefeito presente na audiência pública, Vilmar Cappellaro, gestor de Lagoa Grande/PE, citou que são 37 Km de rio na cidade que administra e que depende e muito do ‘Velho Chico’. Ele revelou que Lagoa Grande foi o único município da região que apresentou um projeto de preservação do Rio São Francisco ao Comitê de Bacias.

“Nós temos essa preocupação com o rio que alimenta a nossa economia, que serve ao povo de nossa cidade e estaremos sempre junto, defendendo a nossa população. Temos consciência dessa consequência desse desastre de Brumadinho e temos que cobrar, principalmente da empresa responsável por esse dano”, considerou o prefeito que listou todas as ações que Lagoa Grande vem executando para proteger o rio, envolvendo a sociedade local, escolas e todo o povo que depende desse bem que é finito.

Além de Ronaldo Cancão que presidiu a sessão, a audiência pública da Frente Parlamentar em Defesa do Rio São Francisco da Alepe, contou com a participação dos vereadores Cristina Costa, Maria Elena de Alencar, Cícero Freire, Rodrigo Araújo, Zenildo do Alto do Cocar, Gilmar Santos, Elismar Gonçalves, Major Enfermeiro, Gilberto Melo e José Batista da Gama.

Ainda se fizeram presentes, o presidente do Comitê de Bacias do Rio São Francisco, o reitor da Univasf, Julianeli Tolentino; representante do Movimento dos Atingidos por Barragens, Fernanda Rodrigues; o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrolina, Jailson Lyra; representante da Agência Municipal do Meio Ambiente (AMA), o biólogo Victor Flores; gerente regional da Compesa no Sertão do São Francisco, João Raphael de Queiroz; José Loyo, presidente do Distrito de Irrigação Nilo Coelho, representante da Fundação Joaquim Nabuco, o pesquisador Neilson Freire que falou sobre estudo da entidade que aponta já contaminação do São Francisco na região de Três Marias; vereadores de outras cidades da região, representantes de ongs ambientais e do público em geral.

 

Texto: Cinara Marques

Foto: Isael Dias-divulgação

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.