Em nota, Câmara esclarece sobre uso da tribuna livre pelo advogado Wank Medrado

por Waldiney Passos publicado 09/10/2019 03h45, última modificação 09/10/2019 03h49
Presença do jurista rendeu protesto de Lúcia Mota, mãe da menina Beatriz Angélica, morta em dezembro de 2015, num crime que chocou todo o Vale do São Francisco e ocorreu em uma festa da escola onde estudava. Wank defende um dos investigados no caso que foi acusado de apagar imagens de câmera da escola gravadas no dia do crime, mas ele nega e seu advogado foi esclarecer o andamento da defesa na sessão desta terça-feira, 8.

Devido ao protesto realizado na manhã desta terça-feira (8), em frente à Câmara Municipal de Petrolina, por Lúcia Mota, mãe da menina Beatriz Angélica e o grupo “Somos todos Beatriz”, esclarecemos que a Casa Plínio Amorim sempre foi solidária a dor da família e com a mesma expectativa de todos, aguarda o desfecho da investigação por parte da justiça para que possa elucidar o caso e punir na forma da lei os culpados.

Assim como o uso da Tribuna Livre, previsto no Regimento Interno, foi cedido aos pais de Beatriz: Lúcia Mota e Sandro Romilton, por duas vezes, esta Casa não poderia cercear o direito ao Dr. Wank Remy de Sena Medrado, que solicitou o espaço através de ofício, para prestar os devidos esclarecimentos sobre a decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), do último dia 05 de setembro de 2019, que deu provimento a REVOGAÇÂO da prisão de Allinson Henrique de Carvalho Cunha, acusado de ter apagado as imagens do sistema de videomonitoramento do Colégio Maria Auxiliadora, onde o crime ocorreu.

De pose do ofício, foi verificada a legalidade da solicitação do advogado, uma vez que o próprio TJPE revogou por 7 x 3 o pedido de prisão do acusado.

A Câmara Municipal apenas cumpriu com o Regimento Interno da Casa, que prevê em seu Art. 102, Parágrafo Único, que o Grande Expediente será dividido em duas partes: a primeira para uso da tribuna pelos Vereadores, antecedendo a Ordem do Dia; a outra parte para uso da tribuna livre por autoridades e personalidades diversas.

Assim sendo, em nenhum momento a Câmara Municipal de Petrolina cerceou o direito de Lúcia Mota de participar da Tribuna Livre. Muito pelo contrário, além de ter recebido por duas vezes os pais de Beatriz, a Câmara ainda autorizou o uso do espaço do plenário para que eles concedessem uma entrevista coletiva à imprensa, no dia 09 de março de 2016.

Por fim, reiteramos que a participação do advogado Wank Medrado, na sessão desta terça (8), foi em cumprimento ao que estabelece o Regimento Interno desta Casa.

 

 

 

ASCOM/CMP

Foto: Jean Brito

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.