Integrantes da Patrulha da Mulher apresentam balanço de atuação do grupo implantado a partir de projeto da vereadora Cristina Costa

por Waldiney Passos publicado 03/12/2019 04h15, última modificação 03/12/2019 04h29
A Patrulha da Mulher veio reforçar a rede de proteção no combate à violência contra a mulher e na tribuna livre, apresentou resultado desde que iniciou as rondas no meio do ano. O grupo recebeu ainda Moção de Aplausos, de autoria de Cristina com o apoio de todos os demais colegas.

A último quinta-feira, dia 28, marcando o início da Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher, a Tribuna Livre da Câmara, teve como convidado, o Inspetor Jota Santos, coordenador da Patrulha da Mulher que falou em nome dos demais integrantes do trabalho que desde junho vem ajudando a diminuir os índices de violência contra a população feminina que sofre com a violência doméstica.

O grupo foi criado dentro da estrutura da Guarda Civil Municipal de Petrolina, a partir de um projeto de lei de autoria da vereadora Cristina Costa, presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher do poder legislativo municipal que tem ainda como membros a vereadora Maria Elena de Alencar como relatora do colegiado; e o vereador Paulo Valgueiro, secretário.

A Patrulha da Mulher conta com oito integrantes que reforçam a rede de proteção no combate à violência contra a mulher na cidade. Segundo Jota Santos, só em novembro, foram mais de 80 chamadas que a Patrulha da Mulher recebeu. O inspetor comemora que o trabalho tem sido importante para evitar que mulheres continuem ou passem a ser agredidas neste que é o principal município do sertão pernambucano.

"Existe ainda um tipo de violência doméstica invisível aos olhos das pessoas, mas que para a mulher é até mais humilhante que a violência física. A violência psicológica tem sido um dos principais motivos de chamamento de nosso trabalho pela mulheres que sofrem com esse drama. Esse tipo de violência machuca tanto quando uma agressão física; mas constrange ainda mais, humilha e deixa a mulher bastante vulnerável. Nossas companheiras da guarda, chegam a passar várias horas só conversando com vítimas desse tipo de violência que deixa marcas profundas na alma da mulher violentada. Nossa missão é ajudar essas vítimas para que elas possam se livrar dessas agressões invisíveis aos nossos olhos", assinalou Jota Santos, conclamando a todos, especialmente os homens, a se engajarem na luta pelo fim de todo tipo de violência contra a mulher em Petrolina e onde quer que estejam.

Para a vereadora Cristina Costa, a luta e conquista da Patrulha da Mulher, vêm fortalecer todo o trabalho que o seu mandato junto ao poder legislativo, tem feito na busca de políticas públicas que apoiem, protejam e garantam dignidade, proteção, oportunidade e segurança a todas as mulheres petrolinenses.

"Estamos incluindo junto com todos os vereadores a ampliação dessa demanda com a implantação de uma segunda Patrulha da Mulher. Estamos de antemão já solicitando ao prefeito Miguel Coelho a capacitação desses profissionais para ampliar esse trabalho que é fruto de uma lei de um poder legislativo comprometido com nossa sociedade. E sabemos que em 2020, vamos conceder a Medalha Dom Malan para esse trabalho tão necessário, reconhecido e bonito", enfatizou Cristina.

Relatora da Comissão da Mulher da Casa Plínio Amorim, a vereadora Maria Elena elogiou a iniciativa da colega Cristina Costa em reunir a Patrulha da Mulher e mostrar aos legisladores da cidade, os números e a importância do resultado dessa iniciativa de proteção tão essencial para fortalecer a rede de proteção á mulher de Petrolina.

."Quero parabenizar Cristina que no seu mandado tem uma lei dessa envergadura. É um trabalho irmanado juntamente com a Vara de Violência Doméstica. Estamos atentas, para que esse trabalho cresça e cada vez mais, se torne um trabalho cada vez mais humanitário que faz com que vocês usem da psicologia para atuar junto a nossas mulheres", frisou Maria Elena.

A Patrulha da Mulher recebeu Moção de Aplausos de autoria de Cristina Coata com o apoio de todos os colegas de parlamento. A homenagem foi estendida ao guarda civil municipal (in memorian), Josival Coelho que integrava o grupo, mas faleceu.. A moção dele foi entregue a viúva Ana Paula e a filha de Josival, Ana Caroline, num momento de emoção.

As guardas Daniel Munik e Dilma Reis representaram toda a Patrulha da Mulher durante o recebimento da Moção de Aplausos, subscrito por todos que fazem a Casa Plínio Amorim.

Falaram ainda em defesa do trabalho dedicado da Patrulha da Mulher de Petrolina, os vereadora Rodrigo Araújo,Alvorlande Cruz, Paulo Valgueiro, Ronaldo Souza (Ronaldo Cancão), Cícero Freire, Maria Elena, Aero Cruz e Gabriel Menezes.




Por Cinara Marques

Foto: Jean Brito

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.