Título de cidadão petrolinense ao ministro Sérgio Moro é aprovado na última sessão antes do recesso da Câmara

por Waldiney Passos publicado 19/06/2019 15h45, última modificação 19/06/2019 21h13
Os vereadores da oposição e situação se dividiram nos discursos contra e à favor da matéria de autoria do vereador Ronaldo Silva, PSDB/PE. O PDL teve votação de 16 x 3 com duas abstenções.

Vereadores governistas da Câmara de Petrolina/PE, sertão do São Francisco, aprovaram título de cidadão petrolinense para o ex-juiz e hoje Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Mesmo o ministro sendo alvo principal de uma série de vazamentos junto com o coordenador geral da Operação Lava-Jato pelo Ministério Público Federal, o procurador federal Deltan Dallagnol, conversas consideradas normais por Moro e Deltan, os parlamentarem da situação deram 16 votos favoráveis à proposta.

Os áudios revelados pelo site The Intercept Brasil, apontam conversas entre Moro e Deltan sobre encaminhamentos do processo em que Deltan com a Lava-Jato teria investigado para Moro julgar e condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O resultado, foi o impedimento de Lula disputar as eleições do ano passado. De autoria do vereador Ronaldo Silva, PSDB, o Projeto de Decreto Legislativo foi aprovado por 16 a 3.

Foram contra os vereadores da oposição: Cristina Costa e Gilmar Santos, PT; e o líder da bancada, Paulo Valgueiro, MDB, com duas abstenções entre os oposicionistas que foram dos vereadores Gabriel Menezes, PSL; e Elismar Gonçalves, MDB. Silva não acredita nos vazamentos como algo de irregular para Moro no exercício da magistratura. Ele gradeceu aos colegas de bancada que aprovaram a cidadania para o ex-juiz, mesmo o ministro não tendo nada apresentado para Petrolina e que justificasse tão homenagem.

“É uma alegria a gente apresentar projeto aqui é ser aprovado. No ano passado quando entrou em pauta, não tinha voto suficiente para aprovar e resolvi retirar de pauta. Agora me articulei com os colegas e graças a Deus, foi aprovado”, comemorou o tucano. Questionado pela homenagem feita num momento em que Moro é alvo de vazamentos sobre a relação dele como juiz com os investigadores da Lava-Jato no Caso Triplex do Guarujá que condenou Lula, Ronaldo se colocou incrédulo quando a veracidade dos áudios que nem o próprio Sérgio Moro, nega.

“Vocês da imprensa sabem que está promovendo esses vazamentos e todo juiz se comunica com seus promotores. Lula foi condenado em todas as instâncias, não só por Sérgio Moro que para mim foi o homem que neste País teve a coragem de colocar os maiores ladrões na cadeia, os empresários da Odebrecht, e Lula que é o chefe da quadrilha”, disparou Ronaldo Silva.

ABSTENÇÕES

O vereador Gabriel Menezes que votou no presidente Jair Bolsonaro do qual o ex-juiz agora é ministro, explicou por que resolveu se abster. Ele e o colega Elismar Gonçalves não foram nem contra nem à favor.

“Eu preferi me abster porque caso se confirme o que os vazamentos mostram aos olhos da população, não seria digno o ministro Sérgio Moro ganhar esse título de cidadão, por isso eu prefiro aguardar. Mas percebemos diante dos discursos que claramente essa entrada em pauta desse título agora foi uma determinação do senador Fernando Bezerra Coelho, líder do governo em que Sérgio Moro é ministro”.

O oposicionista lembrou que a mesma bancada da situação quando Moro era o juiz da Lava-Jato, não deu maioria para a aprovação do projeto no ano passado. “Agora entra com essa ampla maioria governista. Esse título entrou no pior momento, na minha opinião e como não tenho rabo preso, sou independente, até porque já votei em projetos do governo, resolvi me abster. Minha satisfação devo ao povo de Petrolina”, considerou Gabriel

DEBATES

Oposição e situação se dividiram nas falas contras e á favor do projeto. "Não vejo como provocação a entrada deste texto em pauta, mas é preciso que a Lava Jato que passe à limpo de fato a corrupção dentro do próprio judiciário e sou contra a dá esse título, respeitando a opinião dos colegas. Moro hoje é instrumento do fortalecimento de Lula", disse a vereadora Cristina Costa, do PT. Companheiro de partido de Cristina, Gilmar tachou de "indecoroso" a matéria de Ronaldo Silva.

"É um projeto que macula o direito de um povo que paga caro. com muito trabalho no dia a dia Acredito que é um texto sem noção", frisou. Líder da bancada da oposição que votou contrária ao PDL de Ronaldo Silva, o vereador Paulo Valgueiro, do MDB, classificou o texto de homenagem a Sérgio Moro, não pode ser sinônimo de afronta a alguém.

"Esse é um instituto que precisa ser respeitado, de pessoas que realmente prestem serviços à Petrolina. Esse de Sérgio Moro no meu entendimento foi apresentado a titulo de brincadeira, de pirraça, por isso não contará com meu voto", registrou o vereador. 

A vereadora Maria Elena de Alencar, da bancada da situação e que foi favorável ao texto de Ronaldo Silva, não acredita que "uma simples conversa, possa ser transformada em crime". "Para mim não tem outra denominação. Sou 100% Lava Jato, atinja a quem atingir. Para mim é estratégico tudo quem está ocorrendo contra o ex-juiz e ministro Sérgio Moro, portanto sou favorável ao projeto", disse a vereadora do PRTB.

O primeiro vice-presidente da Casa Plínio Amorim, Ronaldo Cancão, PTB, também governista, lembrou os recursos público reconquistados pela Operação Lava Jato. "Ele, (Moro) teve zelo pelo dinheiro público, por isso vereador Ronaldo, conte com o meu voto", lembrando que foi autor junto com o colega vereador Zenildo do Aldo do Cocar, PSB, do titulo de cidadã petrolinense à ex-presidente Dilma Rousseff. O colega de bancada de Ronaldo, o vereador Osinaldo Souza também falou de recursos que foram reconquistado pelas investigações julgadas por Moro;

"Mais de 3 bilhões voltaram para os cofres públicos através da Lava Jato. Votarei por achar o juiz Sérgio Moro um homem de bem", salientou o também petebista.

O líder do governo na Casa Plínio Amorim, vereador Aero Cruz, PSB, disse que tem muita gente sendo investigada, a mando do que ele (Moro) fez pelo Pais e o titulo é um reconhecimento importante. "Já votamos aqui pelo presidente que hoje está preso, mas que fez algo por Petrolina el pelo País. Portanto, vamos votar e aprovar o título para o juiz Sérgio Moro", discursou.

 

Texto: Cinara Marques

Foto: Jean Brito

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.