Vereadores apresentam balanço de viagem a Brumadinho e cobram medidas para evitar maiores danos ao rio São Francisco

por Natalia publicado 25/03/2019 15h46, última modificação 25/03/2019 15h46

A comissão especial montada pela Câmara de Vereadores de Petrolina para visitar Brumadinho (MG) apresentou, nessa segunda-feira (25), uma visão geral do observado na cidade atingida por mais uma tragédia natural causada por rompimento de barragens da Vale.

Cristina Costa (PT) e Ronaldo Souza (PTB) passaram uma semana em Minas Gerais reunidos com vereadores de outras Casas Legislativas, moradores nas cidades atingidas. Segundo os edis, nos próximos dias um relatório da visita será apresentado aos petrolinenses, mas de imediato a sensação provocada com a viagem é impactante.

“Somente chegando a Brumadinho que eu tive a dimensão da importância desse intercâmbio entre as Câmaras de Brumadinho, Petrolina e Belo Horizonte. O rio Paraopeba está morto, a região Norte tem seis milhões de habitante e é abastecida com esse rio”, destacou Cancão.

Presença de metais e omissão do Estado

Segundo Cancão, foi detectada a presença de sete tipos de metais no rio após o rompimento do Córrego do Feijão. Apesar da gravidade dos danos, o Governo do Estado criou uma intervenção e barrou a divulgação de informações ao moradores.

“O Governo de Minas Gerais tem uma convivência íntima com a Vale, nada funciona [sem aval da empresa]. Foi proibido o acesso dos vereadores e do prefeito nas áreas do acidente, o Estado colocou tapumes. Pra nossa surpresa, nem o laudo do Paraopeba foi feito pelo Estado. Quem fez o laudo foi a Vale e só ela tem [as informações]. O Estado está omisso”, ressaltou Cancão.

Providência dos governos

Para Cristina Costa, agora é o momento de criar medidas e evitar maiores danos ao Velho Chico. “Nossa preocupação é como vai ficar nossa região para o consumo da água, aos pescadores, a agricultura. Nossa região já tem um alto índice de câncer. A deles é ser reconhecido como atingido para receber dinheiro da Vale, a gente quer previr danos a vida humana e dos peixes”, afirmou.

O relatório elaborado pela Comissão será discutido com instituições públicas de ensino e órgãos estaduais. Ainda segundo a petista, é dever cobrar o bloco dos governadores do Nordeste. “Tem que ter uma mobilização ampla, principalmente do Governo do Estado pra ir pra cima do Governo Federal. A Vale tem a preocupação com o capitalismo”, finalizou.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.